Início PodCast Iridologia | PodCast 03

Iridologia | PodCast 03

5288
3

podcast_003_jung_iridologia_peq

Olá pessoal! Tive um divertido papo com o Rafael Mello sobre uma de suas especialidades, a Iridologia, uma especialidade maravilhosa que permite conhecer muito sobre sua fisiologia e comportamento. 

Neste episódio: Saiba como uma coruja pode quebrar a perna e ganhar uma mancha no olho, entenda que você fala pelos olhos e ainda conheça a cor da sua íris!

Tempo: 64 min.

ARTE DA CAPA: Lino Bertrand.

Envie sua arte, sugestões, dúvidas e correções para: [email protected]

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá, primeiramente Adorei o podcast!!!!!! Estão de parabéns!
    Gostaria de saber qual o autor do livro infantil que foi comentado neste episódio. Onde a história consegue alterar emocionalmente as crianças. Fiquei muito interessada , pq tenho filha.

    Muito obrigada! E mais uma vez parabéns pelo trabalho!

    • Olá Gabriela.
      É muito bacana está observação que você fez. Imagine no mundo todo temos somente duas cores de íris, e a partir destas duas uma terceira bem defina que é misto . Estudos atuais já efetuam mais considerações sobre as cores e especificam outros subtipos. Cabe também a informação de que a tonalidade desta coloração pode categorizar alguma diferença comportamental. Importante entender que um único sinal , apesar de dizer muito sobre a pessoa, não compreende todo seu comportamento ou sua personalidade. Quando identificamos duas pessoas com a mesma coloração de íris entendemos que ambas possuem os mesmos potenciais , ambas possuem uma carga genética que a pré-dispõem é uma potencialidade, cabe a pessoa usar como entender melhor esta potencialidade. Ao se observar uma íris os sinais não devem ser somente listados e sim associados e relacionados , portanto pessoas na mesma cultura com a mesma coloração na iris são completamente diferentes pelos outros sinais existentes em seus olhos. Um único sinal confere ao indivíduo uma diferença no seu modo de ver a vida e lidar com ela. Muito importante entender que os sinais são pré-disposições nunca limitações ou determinações . Não existe uma única iris igual a outra tamanha a complexidade desta estrutura.

      Estou a disposição para mais perguntas. Espero ter atendido sua questão. Gostaria de dizer que esta questão aconteceu com grandes estudiosos na trajetória histórica da iridologia, pois na tentativa de classificar algum traço fisiológico ou comportamental através da cor, foi necessário especificar o que exatamente estava sendo avaliado, no caso, as fibras da iris. Esta divisão de três principais e alguns subtipos acontecem para as fibras da íris, contudo a coloração é observada e especificada para todos os outros sinais, aumentando drasticamente a variabilidade.

      Espero ter contribuído!
      Rafael Mello

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here