Início Textos A importância dos Sonhos na época do Natal e a força de...

A importância dos Sonhos na época do Natal e a força de arquétipos fundamentais do ser humano. 

3294
5
O Natal expressa arquétipos fundamentais do ser humano. É um momento de intensa meditação, onde os sonhos expressam o ano vindouro pelas 12 Noites Santas.

 

Natal, uma história que perdura há milênios, conhecida pela maioria dos povos de um planeta inteiro.

 

Um casal, José e Maria, no meio da multidão e das festas, batem de porta em porta em busca de um abrigo para dar a luz a um menino iluminado. Ninguém deu abrigo e o menino foi nascer num lugar silencioso, rodeado de seres da natureza.

 

Uma luz chega ao mundo. Enquanto os sábios do oriente, guiados por uma estrela vêm encontrar o verdadeiro rei que vai nascer, Herode, dominado pelo medo e inveja, o “falso rei”, ao saber da notícia, manda matar todas as crianças menores de 2 anos. É a sombra que se expressa quando a luz chega. Quando há luz, existem anteparos que geram sombras

 

Qual a influência desse momento em nossas vidas?

 

Grandes arquétipos da humanidade se mostram nessa história. Um homem e uma mulher, o masculino e feminino, se unindo, originando um outro ser, numinoso, transcendente às polaridades. É a expressão do divino, o grande arquétipo do desenvolvimento espiritual,nascimento de um rei salvador.

 

O que há de nascer em nós nesse Natal?

 

Um ar de numinoso se instaura e, nos unimos às famílias, a pessoas queridas, ofertamos presentes, fazemos orações, celebramos. E, é muito comum lembrarmos somente da luz, do nascimento, da compaixão. Mas sempre quando a luz chega, grandes sombras também, nos mostrando os obstáculos.

 

É um excelente momento para meditar e não é a toa que o Natal se faz 7 dias antes do ano novo. Um momento de preparação para iniciar um novo ciclo.

 

Mas o Natal já era festejado antes do nascimento de Jesus, onde os gestos de devoção eram feitos ao Sol.

 

Rudolf Steiner, fundador da Antroposofia, traz esse olhar para o nosso tempo.

 

Segundo estudos da Orientadora biográfica Luciana Pinheiro Ventre, nessa fase, ocorre uma configuração astrológica especial, onde de 25/12 a 05 de janeiro:

 

“O Natal é um evento cósmico que obteve seu cume de atuação na Terra com a encarnação do Ser-Cristo-Solar no corpo do ser humano Jesus. A cada ano, o Natal marca um novo período de renascimento da humanidade e dentro de cada um de nós.”
 

 

“O Sol, o céu e suas estrelas também sentem esta força, este fluxo. Na época do Natal o Sol está na sua máxima declinação sul, com a decorrência do solstício de verão no hemisfério sul e o solstício de inverno no hemisfério norte.”
 

 

“O Sol durante o seu movimento anual faz um passeio por todo o zodíaco. Segundo a concepção antiga do mundo, doze seres sustentavam este caminho do sol e, juntos, formavam o zodíaco. Sabemos hoje que o zodíaco é composto por doze constelações de estrelas.”

“A sabedoria antiga nomeou cada uma destas constelações com os nomes que hoje conhecemos como sendo os signos da astrologia. Cada uma destas constelações, observadas a partir do ponto de vista da Terra, relacionam-se com um mês do nosso calendário. “
 

 

“Cada constelação estelar também nos remete a um âmbito da nossa vida e principalmente nos traz uma pergunta essencial para cada época do ano.”
 

 

“Na época do Natal, o sol se relaciona com o zodíaco de forma particularmente especial trazendo presságios para o ano vindouro. Durante a noite, quando estamos dormindo é que especialmente podemos ouvir esta sinfonia que toca no universo.”

 

 
“Da noite de Natal até o dia de Reis, contam-se doze noites. Estas são as chamadas doze noites santas que trazem metas, desafios e tarefas para o ano seguinte.”
 

 

Através da luz espiritual que brilha das estrelas do Zodíaco, dádivas se derramam sobre todo saqueles que oram e vigiam. As doze noites têm uma correspondência com os 12 meses do ano que se inicia.”

 

(trecho da apostila do Curso 12 Noites Santas, de Luciana Pinheiro Ventre)

 

Uma abertura ao inconsciente se estabelece e, durante a noite, os sonhos trazem informações preciosas do ano que está por chegar. Nessas noites, cada uma delas, representa simbolicamente um mês do ano:
.

 

25 de dezembro – janeiro
26 de dezembro – fevereiro
27 de dezembro – março
28 de dezembro – abril
29 de dezembro – maio
30 de dezembro – junho
31 de dezembro – julho
01 de janeiro – agosto
02 de janeiro – setembro
03 de janeiro – outubro
04 de janeiro – novembro
05 de janeiro – dezembro
 .

 

No dia 06, os sonhos trazem a síntese do ano.
 .

 

A vivência, meditação, introspecção dessa fase trazem informações profundas.

 

Para aproveitá-las, cuide desse momento da sua vida, como uma fase especial, anote seus sonhos.

 

Como observar os sonhos?

 

Os sonhos trazem de maneira simbólica o que não nos é revelado pelo pensamento racional. O símbolo é carregado de significados que não necessariamente se esgota em si e pode conter informações pessoais e coletivas.

 

É importante observar os sonhos sem se prender a uma análise racional, por exemplo, se sonhar com uma mulher grávida, isso não significa que você ou alguém ficará grávida naquele mês. Pergunte-se, o que uma grávida representa para você? É aí que reside a informação do símbolo.

 

“Nos sonhos, os símbolos surgem espontaneamente, pois sonhos acontecem, não são inventados; eles constituem, assim, a fonte principal de todo nosso conhecimento a respeito do simbolismo (C. G. Jung, O Homem e seus símbolos)

 

Faça uma meditação antes de dormir, e, ao acordar, anote o sonho antes de qualquer coisa, até mesmo antes de levantar da cama e falar bom dia. Compartilhe isso com seu companheiro(a) para que essa parte da manhã seja respeitada. Se sonhar a noite e acordar, anote durante a noite, mesmo.

 

E se não se lembrar dos sonhos?

Observe o que você está sentindo, quais os sentimentos, pensamentos e imagens que vêm a mente e anote.

 

Aproveite esse momento astrológico, essas forças arquetípicas que estão emanando para se conectar com sua jornada interior. E os sonhos são a chave desse processo.

 

Tenha um Natal abençoado, com a força do nascimento e um Ano Novo repleto de boas novas!!

Bia Rossi
Sou mãe, terapeuta, eterna buscadora do mais profundo do meu ser. Como neta de uma linhagem de benzedeiras e de espíritas, fui criada vendo o poder do invisível, o que me motivou a buscar entender o que está por trás das coisas. Da faculdade de Biologia ao estudo da Medicina Chinesa, filosofia, física quântica e Psicologia junguiana, meus caminhos me levaram a investigar a habilidade de enxergar além, o que culminou no meu propósito, entender como a intuição acontece e despertar essa força que leva a essência do que sou. Nessa caminhada me tornei terapeuta Bodytalk e fundei os projetos: Jung na Prática, Mulheres Intuitivas, Start Intuitivo e Biologia da Intuição, onde, juntos, seus conteúdos já impactaram mais de 100.000 pessoas nas redes sociais, congressos, palestras. Neles me dedico a estudar e ensinar mulheres e terapeutas a reencontrarem sua sabedoria intuitiva. "Com a intuição trazemos à tona a voz da mulher autêntica, forte que vive dentro de todas nós"

5 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here