Início Textos O que Jung diria num ano novo?

O que Jung diria num ano novo?

4069
0

 O que Jung diria num ano novo?

Às vezes me pergunto, quais eram os pensamentos de Jung quando um ano novo se iniciava?

Jung se estivesse vivo, provavelmente concordaria com a poesia de Drummond:

“Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre”.

Penso que é dentro de nós que o ano novo espera ansioso por realizar ações diferentes do passado e gerar novos horizontes.

Mas porque será que as metas estabelecidas nem sempre são razoáveis?

E quando o estabelecido não acontece, culpamos a todos e a tudo, menos a nós mesmos, e por quê? Talvez esta frase “Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta” de C.G.Jung possa ajudar a compreender melhor este mecanismo.

O dia a dia é feito de incertezas, portanto, o controle não existe, afinal, frente a cenários de tantas mudanças, o ensinamento é de que é preciso saber lidar com algo que não pode ser tocado, de que nada é totalmente certo. A certeza é algo que escapa a todos. Neste movimento contínuo das incertezas, que na maior parte do tempo se comporta de forma sutil e delicada, mas às vezes nos pega de forma inesperada, impondo-se e transformando a realidade, nos perguntamos:- e aí, o que podemos fazer?

Primeiro; inspire, expire e não pire.

Depois questione se as metas estabelecidas para o ano são próprias ou são externas a você. São autênticas na possibilidade da sua realização ou são devaneios provocados pela necessidade de atender o externo, ou por que é início do ano? Então vamos fazer a lista.

“Uns sapatos que ficam bem numa pessoa são pequenos para outra; não existe uma receita para a vida que sirva para todos”. C.G.Jung

E o que fazer então? “Lembrar-se da capacidade para realizar depende de um alto nível de conhecimento de si mesmo e de compreensão das razões para o seu próprio comportamento, ou seja, um ego auto reflexivo”. Stein, p.29

E neste estado de consciência, estarmos dispostos a expandir a percepção. Lembrando que os resultados nada mais são do que a intensa elaboração de suas partes. Coisas acontecem apesar de querer ou não. Não há como controlar isso. É aceitar a liberdade que a incerteza está disposta a nos oferecer a cada dia, afinal, “até você se tornar consciente, o inconsciente irá dirigir a sua vida e você vai chamá-lo de destino”. C.G.Jung

O que Jung diria? Bom, certamente essa mente brilhante nos surpreenderia e não me arrisco a supor tais palavras. Pensar nisso me levou a refletir e, como sua aluna, me sentindo acolhida pelo maravilhoso conhecimento que ele nos deixou, penso que é um momento de uma busca pelo contato com o self, aquilo que temos de mais íntimo e profundo.

Um feliz 2017 para todos que circulam por aqui. Ele será diferente, com certeza, por que nós o faremos assim. Porque depende exclusivamente de nós e porque somos um campo de muitas possibilidades basta olharmos para dentro.

Bibliografias

ANDRADE, Carlos Drummond de , Receita de Ano Novo. Editora Record. 2008.

STEIN, MURRAY – Jung: o mapa da alma: 5ª ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

 

 

 

 

Patricia Razza
Desde dezembro de 2004 atuando na Direção Geral de uma instituição educacional e cultural na cidade de Jundiaí. Responsável por seis unidades de ensino educacional e projetos institucionais voltados para famílias de baixa renda. Um projeto que envolve 250 profissionais e 1400 crianças e jovens matriculados além dos projetos multiplicadores. Responsável pela execução do Fórum Social, um evento que envolve a participação aproximada de 200 pessoas, com temas atuais e que conta com a participação de outras entidades assistenciais. Estabelecimento de agendas de supervisão pedagógica e administrativa para fins de alinhamento da rotina de trabalho. Experiência sólida profissional envolvendo atividades relacionadas a projetos de mudança sempre com foco na sensibilização dos profissionais para atuarem como seus agentes. Gerenciamento de projetos buscando alavancar vendas e abrir mercado para empresas de pequeno e médio porte tanto no Brasil quanto no Exterior. Atuou como coaching da equipe de consultores da Deloitte Consulting FORMAÇÃO ACADÊMICA: Pós Graduação em Psicologia Analítica – FACIS/IJEP - 2015 em curso Psicologia – Politécnica Anhanguera Jundiaí – 2015 Pedagogia – EAD COC - 2011 Pós Graduação em Psicopedagogia – Faculdades Anchieta – 2006/2007 Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos – Especialista – 2000/2005 Pós graduação em Comunicação em Marketing – Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo - 1994 Letras – Universidade Hebraico Brasileira Renascença - 1980 IDIOMA: Inglês fluente - falado e escrito Espanhol - regular

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here